quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

1994 e o Linux

Até hoje não tenho certeza, se foi em 1994 ou 1995 que li pela primeira vez uma notícia sobre o Linux, acredito que foi em 1994, pois em 1995 eu já assinava a revista Informática Exame.
Fiquei maravilhado! Foi em uma edição desta revista, onde em menos de meia página, exaltavam um sistema operacional baseado em Unix para ser usado em PC e que era muito mais poderoso do que o limitado MS-DOS. Diziam que um determinado professor era o responsável por disponibilizar na internet o sistema produzido por um jovem estudante universitário finlandês. Aquilo pra mim era uma notícia salvadora, pois nesta época já abominava o monopólio e a figura do Mr. Gates (sinceramente não sei porque nasceu este sentimento, pois pouco conheço e conhecia sobre a figura deste Sr.). Diziam lá, também, que este sistema operacional, o Linux, podia ser instalado a partir de uma pequena quantidade de disquetes e que um ambiente gráfico também poderia ser instalado a partir de outra pequena quantidade de disquetes.

Imaginem que fiquei muito contente com a notícia e nem ao menos eu tinha um computador. Usava somente o do escritório de contabilidade onde trabalhava e programava somente longe dos olhos do patrão. Era muita adrenalina!

Depois disto, não lembro mais de ver novamente notícias sobre Linux, mas nunca esqueci que ele existia. Fiquei impressionado com a idéia de que era um sistema grátis e que todos podiam usar sem precisar pagar licenças e que eu podia ver o código e alterar (embora eu tivesse a plena consciência de que entender o código de um sistema operacional era coisa pra extraterrestres)

Em 1997, finalmente, adquiri meu primeiro computador, já no mês de janeiro. Passei vários meses fuçando, formatando e instalando windows versão 95, depois versão 98. Neste ano de 1998 foi que tive, então, minha primeira experiência salvadora, adquiri um livro de título parecido com "Como montar um provedor de internet" e com ele, acompanhava um CD de instalação da distribuição Slackware que não lembro a versão. Incrivelmente consegui particionar meu disco rígido e instalar o sistema e deixá-lo funcional sem perder dados!

Nesta época eu gostaria muito de iniciar um negócio e parecia que um provedor de internet seria algo promissor, mas meu maior interesse é que eu teria internet pra uso próprio, pois naquela época só podia acessar por interurbano pra Porto Alegre ou através de um 0800 do SBT Online que permitia até 10 minutos de navegação gratuíta, a cada ligação, durante um bom tempo. Também participávamos de feiras de informática em Porto Alegre e catávamos tudo quanto é disquete de instalação de provedores que davam 30 dias de acesso grátis

Não sei de que forma, mas conheci e comprei um livro de título parecido com "Linux Primeiros Passos" que vinha com uma distribuição chamada Caldera, pois tava complicado entender como funcionava o Slackware e eu estava querendo saber de tudo que podia sobre linux. Esta foi a distro mais estranha com que me deparei, embora lembre que consegui instalar facilmente, inclusive tinha um servidor X (se não me engano Metro X) que me ofertou um ambiente gráfico funcional.

Por fim, neste biênio 97-98, procurando por Linux na internet, fiquei sabendo da Conectiva, empresa brasileira que tinha uma distro baseada em RedHat que se chamava Marumbi. De cara comprei estes CDs através do site, nem lembro como foi feito o pagamento. Aliás, eu já estava doido pra que pudesse comprar de tudo que eu precisasse pela internet, só que não existia este serviço ainda, se eu fosse inteligente tinha criado um e-commerce e ficado rico hehehehe :-), mas minha satisfação sempre foi trabalhar com a tecnologia e não tinha um bom "tino" pra negócios.

Sendo assim, 1998 representa minha entrada definitiva para um mundo muito mais maravilhoso e livre, embora eu lembre teve um período de uns 6 meses em que fiquei sem utilizar Linux, não tenho certeza, mas acho que foi por falta de motivação, mas a partir da versão 5.0 da Conectiva, passamos a utilizá-la no CPD da Prefeitura (meu local de trabalho, como funcionário, atual) no servidor e então jamais me distanciei.

Gente, desculpem novamente as longas historinhas.

Um grande abraço a todos

Um comentário:

Catarini disse...

Imaginem que fiquei muito contente com a notícia e nem ao menos eu tinha um computador.

Agora tu tem vários amor, umas "bixera Véia" mais tu tem vários computadores....

Eita Mundinho em 2008 já é dono de um terreno de vinte e tantos mil..