segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

À procura de uma plataforma de desenvolvimento livre 003

Foi então que em 2002 pensei ter encontrado a solução, não que esta não poderia ter sido a minha solução, comecei a dedicar-me a PHP. Neste mesmo ano, Rasmus Lerdorf, o criador do PHP palestrou no FISL e fiquei encantado com a possibilidade de desenvolver para a web, pois era outro bonde que eu já estava quase perdendo, primeiro o GUI e agora a web. Comecei a produzir tudo que podia de programinhas em PHP, inclusive os que seriam mais simplesmente implementados em Delphi ou mesmo CLIPPER. Como PHP lembrava-me os tempos de CLIPPER com sua produtividade e sem precisar ficar arrastando componentes, o problema era o HTML, pois com minha enorme criatividade, meus melhores layouts seriam dignos da exclamação "Nossa que horrível!". Tirando este contratempo, produzia e produzia com PHP, sua facilidade em acessar minha base de dados em mysql (outro que sofri pra quebrar o paradigma, mas isto seria outra história).
Mas algo ainda parecia não estar certo, não me parecia correto produzir tudo para a web. E os sistemas de entrada massiva de dados que o ideal seria uma aplicação console (embora eu relutasse e sempre me "esmurrava" para acreditar que em GUI também poderia ser bom)? Como fazer uma aplicação simples e rodar em um Pentium 133 com 32MB de RAM se eu teria que instalar no computador do cliente um servidor mysql e um servidor http? Coitado de alguns clientes que tiveram que aceitar estas soluções, mas eles já não sofrem mais pois tenho certeza de que não utilizam mais aqueles programinhas que fiz (normalmente produzia de forma quase que gratuita, pois hoje eu vejo que cobrar R$ 50,00 ou R$ 100,00, ainda que em 2002 era piada, mas eu sempre aceitava que isto estava ajudando no meu desenvolvimento pessoal - e porque não?).
Mas não dava não, mysql e apache em 32 MB de RAM não dava. Volta e meia produzia novamente em Delphi, pois rodava e bem de 486 com 32MB de RAM pra cima e mais alguns aninhos se passaram.
Já em 2004 o problema de pouca RAM parecia no passado, mas eu continuava relutando em ter que instalar "trocentos" servidor só pra ter que rodar um simples programa no computador do cliente.
Desde 1997 eu já estava ouvindo falar de Java e que rodava em qualquer browser e que era totalmente orientado a objetos (depois alguns já diziam que não era totalmente, algumas coisas faltavam), mas antes de 2001/2002 eu não vislumbrava desenvolver para a web, torcia para que fosse só moda sistemas rodar em web, páginas sim, sites de e-commerce, mas não sistemas, por favor! Antes de começar a aprender C nem pensava em Java, pois diziam ser o dialeto C e ainda orientado a objetos, fora que não tinha uma IDE RAD, tipo Delphi, "sem jeito, tô fora" eu pensava, como iria produzir alguma coisa assim? Havia uma galerinha (poucas pessoas) na faculade que eram mais abastados e tinham bons computadores, em casa ou no trabalho e podia testar novas tecnologias, alguns até relatavam que estava desenvolvendo em Java usando uma IDE sei lá o quê da Symantec, só que era muito lento. Eu já tinha feito um upgrade no meu PC, agora ele era um Pentium 100 não com 16MB de RAM, já devia estar com uns 96MB, mas não tinha jeito, Java era muuuuuito lento e não tinha vontade nem de aprender, até discutia com uns colegas, mas isto já lá por 2003/2004 que o negócio mesmo era PHP, que Java não era produtivo e sei lá mais o quê (e isto que eu nunca tinha produzido nem um Hello World em Java).
Mas é a vida! Vinha um Fórum de Software Livre e dizia que C++ era o canal pra se desenvolver com QT e lá eu ia eu codificar e codificar durante uns 3 meses, depois ja era C com GTK, depois era PHP com GTK, depois já era Python. Lembro que Python foi interessante, saí da palestra achando que finalmente o mundo estava salvo, para Python tudo era objeto, inclusive um "a".upper() dava pra se fazer. Mas era tudo tão difícil, não digo aprender a linguagem, mas ser produtivo era o problema.
O pessoal do Mono, então, praticamente monopolizou um FISL e, embora olhando meio estranho por se tratar de uma implementação livre de tecnologia Microsoft, achei interessante poder ter bindings atualizados, pois PHP GTK era um caso em que não podia usar as mais recentes características do GTK. Nesta época já contava com uma pequena experiência em Java e pude notar o quanto C# (que havia sido a linguagem que eu queria adotar por contemplar de toda a capacidade do framework) era parecido com ela. Não evolui em nada com Mono, até porque não gostei da idéia de ter que usar Glade pra produzir interfaces e codificar em outro editor, não era tão produtivo quanto Delphi ou CLIPPER e definitivamente eu não iria mais programar em uma plataforma de desenvolvimento que eu tivesse que pagar para utilizá-la e Java e Mono eram gratuítas e livre respectivamente.

2 comentários:

Noob Saibot disse...

Porra, esse blog tá muito bom... Terrinha quer mais posts ;)

Go go go! :D

Espero mais posts para poder continuar lendo... Já li tudo que tinha :D

Abraços
do Terrinha
http://terramel.wordpress.com

OBS: Como não permite comentários anônimos postei com minha conta que tem o nome de Noob Saibot (meu antigo nick no IRC era Noob_Saibot_) ;D

Noob Saibot disse...

Opa cara! Fico feliz que tenha gostado do meu post sobre o Reinaldo Azevedo e o Barack Obama ;)

Fico feliz que tenha gostado do meu blog como fonte de informações sócio-política-econômicas ;) Se bem que é raro eu postar sobre esses assuntos ;D O foco é Software Livre ehehehehhe :) Gostaria de convidá-lo a dar uma olhada nos artigos sobre tecnologia e SL :)

Em especial o Resposta ao FUD de um colunista da M$ Technet e também ao artigo César Brod, o Miguel de Icaza Brasileiro aheheheheaueahuaehehehe!

Abraços

do Terrinha

OBS: Começa a permitir comentários anônimos aqui ahueheaueah